Por que não controlamos nossa vida financeira?

Você já teve a sensação que o dinheiro não dura até o fim do mês? Ou então que você necessariamente precisa comprar aquele artigo novo que todos os seus amigos tem?

Fique tranquilo, a culpa não é sua. Somos atacados incansavelmente por uma indústria baseada no consumo e a artilharia do marketing das empresas é pesada. Mas há uma solução.
É fato que o brasileiro precisa de mais educação financeira. Vivemos e crescemos em uma cultura regada pelo imediatismo e o consumismo. Sabemos que a sociedade em que vivemos é fruto de nossos antecedentes, todos os povos latinos sofrem com a falta de planejamento financeiro, e também com uma certa aversão ao acúmulo de riqueza, como se fosse algum tipo de pecado, ao invés de ser uma fonte de tranquilidade e sustentabilidade financeira. Ora, o dinheiro não torna uma pessoa má e egoísta, ele apenas potencializa as características pessoais que essa pessoa já tinha antes de tornar-se rica, assim como um pessoa de boa índole pode fazer seu patrimônio ser muito útil para a sociedade.
Somos, ainda, uma nação nova e em desenvolvimento e isso ocasiona, mesmo que indiretamente, um aumento no endividamento das famílias. É muito comum ver pessoas tendo padrão de vida melhores que os pais, e provavelmente serão menores que seus filhos. Todos querem uma vida melhor para os filhos, seja um carro que a família nunca teve, um curso superior ou até mesmo serem os primeiros da família a fazer uma viagem internacional.
Por causa dessa demanda reprimida e da dificuldade do passado, existe um vício social em que considera-se aceitável, por assim dizer, se endividar a fim de satisfazer desejos. O problema é que no futuro, a falta de planejamento cobra uma conta muito cara. Apenas 1% da população aposentada no Brasil é independente financeiramente, sendo que 46% dependem diretamente dos parentes, na grande maioria, dos filhos. Portanto, além de ter uma aposentadoria sofrida, essa pessoa sem Educação Financeira está fadada a prejudicar a vida dos filhos, que deverão adiar os próprios planos e sonhos, devida a falta de planejamento dos pais.

Esse costume da busca do aumento rápido do status social, associada à falta de planejamento financeiro, provavelmente causará enormes problemas futuros. Principalmente quando essa pessoa deixar de ser uma pessoa ativa no mercado de trabalho e não conseguir mais sua renda mensal, ou quando acontecer qualquer outro tipo de imprevisto. Uma pessoa sem educação financeira está a mercê da situação. É um navio sem botes e coletes salva-vidas.
Soma-se mais um problema ao povo brasileiro: nossa descrença nos políticos e no governo. Principalmente quando o assunto é aposentadoria, que é um fato polêmico, mas fatalmente problemático e insuficiente para o bem estar da população.
Fazendo um paralelo com outras nações, o Brasil é um país em que a população tem um alto consumo no Presente e pouco acúmulo para o Futuro. Nos EUA, por exemplo, a cultura é diferente, o início da vida financeira dos americanos é mais econômico, com menos gastos, e só depois de se estabilizar no mercado de trabalho e já ter acumulado algum patrimônio que ele começa a realizar maiores gastos. Na Europa, em países ricos como a Alemanha, existe uma cultura mais parecida com a brasileira, porém lá existe um ponto crucialmente diferente: confia-se nos políticos e no governo. Portanto, cabe ao Estado prover todas as necessidades básicas do alemão com qualidade de vida, sendo assim, não é tão necessário o povo fazer grande acúmulos de patrimônio pensando na tranquilidade futura.
Engana-se quem pensa que Educação Financeira é mesquinharia, poupança em excesso ou cortes extremos de gastos. Na verdade, trata-se de um conjunto de atitudes visando potencializar o valor do dinheiro e permitir a realização dos sonhos e objetivos da pessoa. Sempre deve-se priorizar o bem estar e a felicidade do indivíduo, de modo que ele aproveite o momento presente e garanta sua tranquilidade futura.
Uma pessoa educada financeiramente prioriza os sonhos, gasta menos do que ganha, não faz dívidas e pensa no futuro. Essa é a receita básica para a sua saúde financeira.
Felizmente, começamos a ver um grande esforço no Brasil de educadores, planejadores e consultores financeiros a fim de desmistificar esse assunto tão importante na vida das pessoas. A frase que uso como meu lema é: "Todos precisam de Educação Financeira". Quando você perceber que não se trata de um assunto distante da sua realidade, e que não é algo só para economistas ou estudantes de Exatas, vai perceber os grandes benefícios que esse tipo de conhecimento pode te proporcionar.
Leia, assista e pesquise. Nada é mais importante que a Educação. Uma famosa frase atribuída a um ex-reitor da Universidade de Harvard, chamado Derek Bok, diz: “Se você acha que a educação é cara, experimente a ignorância”.
A Educação Financeira pode ser um divisor de águas em sua vida e te aproximar de todos os seus sonhos e concretizar todos seus objetivos de vida. Aproveite!